Postado em Colunas» Slide» Sobre o Poder - 30 de novembro de 2015 - 10:06 - Sem Comentários

Ideologia: propaganda política

Comumente vemos pessoas discutindo nas redes sociais sobre um assunto: ideologia. Ultimamente, devido aos acontecimentos políticos pelos quais passamos, esse conflito vem, cada vez mais, se intensificando. Inúmeros comentários e respostas que saem em defesa do que acham certo e em escárnio do que creem ser incorreto: “Adam Smith ou Karl Marx?”. Esse conflito se estende muito além do ambiente virtual e de simples ideias políticas ou econômicas. É muito fácil definir um indivíduo ou um grupo inteiro apenas sabendo o posicionamento ideológico do mesmo. É evidente que os articuladores políticos mais espertos sabem disso.

Desculpem-me se não concordam, mas é muito fácil manipular grandes massas usando do artifício anteriormente descrito, políticos fazem isso toda eleição. Talvez, apenas filósofos, teóricos e estudiosos se preocupam verdadeiramente em defender e estudar suas convicções. E digo que, sem dúvidas, grande parte dos políticos se aproveitam desse fanatismo ideológico de muitos para se promover. Um exemplo simples: você defende certos ideais políticos (automaticamente todas as ideias que podem partir daí); partindo dessa regra, é muito fácil identificar quais são seus desejos e ambições, individuais e coletivos; então o sujeito vai lá e, sabendo que essas ambições são ordinárias do grupo ideológico ao qual pertence, se promove. É difícil aceitar, mas grande parte desses “sujeitos” está pouco afim de lutar pelo o que defendeu quando estava com um microfone sob suas mãos.

Vamos a outro exemplo: o PSOL, Partido Socialismo e Liberdade (o que, por si só, é uma imensa contradição) abriga muitos afiliados ao redor do Brasil, mas, digo sem medo, que grande parte destes sequer leram Marx ou conhecem as catástrofes que as tentativas de implantação dessa teoria ocasionaram em diversos países. Mesmo assim, indiretamente, essas pessoas se favorecem e promovem seu nome em cima dessa teoria que nem conhecem, mas que é base de muitas ideias e promessas que são difundidas e atraem muitos, avisados ou desavisados.

Há um sociólogo brasileiro que se preocupou em estudar quase que especialmente o assunto que aqui foi abordado, Nelson Jahr Garcia (1947-2002). Ele mostrou com especificidade como se dá o uso dos princípios ideológicos como forma de propagada política em sua obra “Propaganda: Ideologia e Manipulação” (1999). Creio ser um assunto muito importante para que possamos olhar com outros olhos como se dá o processo político e a promoção pessoal por meio dessa ferramenta que chamamos “ideologia”.

Por: Franklin William
Gloriense, estudante de Direito, iniciado à arte da escrita e estudioso de assuntos ligados à esfera política e filosofia.
Enium Interativa Criação de sites

Deixe seu comentário!