Comitê Estadual de resíduos sólidos decide pelo afastamento de Canindé


- 17 de maio de 2016 | - 10:23 - - Home » » » »

Na manhã dessa segunda-feira (16), prefeitos sergipanos estiveram reunidos na sede da Federação dos Municípios do Estado de Sergipe (FAMES) para decidir sobre o impasse que vem emperrando os trabalhos do Comitê de Resíduos Sólidos dos Municípios do Baixo São Francisco. Em decisão unânime dos presentes, foi votado o afastamento de Canindé do São Francisco como membro participante, já que o mesmo, através de um representante da Prefeitura, não aceitou contribuir com 0,30% de sua receita para criação de um sistema que atendesse aos 28 municípios participantes.

caninde_operacao_01_maissertao

Canindé de São Francisco. Foto: Google Street View

O comitê agora conta com 27 membros, sendo seu presidente o prefeito de Propriá, José Américo. “Não tínhamos mais como aceitar essa posição. Estamos sendo cobrados pela sociedade e também pelo Ministério Público para que o projeto continue. Canindé alega que devido a sua receita ser alta, iria pagar mais que os outros participantes. Mas tudo isso já foi discutido em ata, nas reuniões que tivemos, onde a base de cálculo foi feita em cima da receita do município”, explicou o gestor.

De acordo com o secretário de Finanças de Canindé, José Santos de Andrade, a não aceitação do município ao acordo firmado pelo comitê se deve ao fato de que somente Canindé irá orçar com quase 30% dos custos para implementação do sistema de aterros sanitários e tratamento do lixo gerado na região. “Trouxe uma proposta onde sugerimos a mudança da participação por membro, sendo que os cálculos seriam pelo número de habitantes. Ou se não, Canindé contribuía com um valor referente a um município com as mesmas proporções dele, como Nossa Senhora da Glória. Dá forma como está, não entendemos como justa essa participação”, retrucou o secretário.

Para o prefeito de Aquidabã e presidente da Federação, Marcos de Acauã, a resolução desse impasse irá atender as necessidades dos envolvidos, pelo menos, por enquanto. “Esse é um problemas que estamos convivendo faz tempo e não podemos esperar mais. A situação não está nada fácil para os municípios sergipanos, por isso temos que ir atrás de resoluções para que esse problema dos resíduos sólidos tenha uma solução adequada”, frisou o presidente.

Mais Sertão entrou em contato com Heracrito, Secretário de Administração e Finanças, o qual informou que está tentando um acordo com o comitê e que já foi feita uma contraproposta dependente de retorno. O secretário ainda esclareceu que em nenhum momento Canindé quis sair do Comitê e que não seria justo que o seu município, sozinho, orçasse com quase 30% de todo os custos para implementação do sistema de aterros sanitários e tratamento do lixo gerado na região.

Por: T.Dantas Comunicação e Marketing

Por: Marcos Loureiro
Repórter há 2 anos; Apaixonado por informações e tecnologia; Adepto à leitura e amante dos cálculos.
Enium Soluções Digitais

Deixe seu comentário!